Horário: Seg-Sex 08h00 às 17h30

comercial@trino.cnt.br (11) 4166-5303

Efeitos da Pandemia Para Empresários

Empresários serão forçados a lidar com diversos efeitos negativos

Devido às altas taxas de propagação do novo Coronavírus, diversos países do mundo, incluindo o Brasil, adotaram medidas para tentar combater o avanço da doença, aplicando, principalmente, a quarentena e o isolamento social para praticamente todas as pessoas. Porém, esse isolamento social é seguido de um forte impacto na economia, que precisa dos negócios funcionando para continuar caminhando. A parada quase total da grande maioria dos serviços traz prejuízos a funcionários, que serão forçados a aceitar, por exemplo:

- Férias coletivas;

- Cortes salariais;

- Demissões.

Contudo, não são só os trabalhadores que vão sofrer com a crise causada pela alta propagação da doença. Empresários também serão forçados a lidar com diversos efeitos negativos e precisarão encontrar formas de garantir a sobrevivência de sua empresa nesse momento de dificuldade.

 

Principais efeitos econômicos para empresários

Os principais efeitos sentidos por empresários durante a época de isolamento social e pandemia serão econômicos. Empresas preparadas para lidar com crises tem mais chances de sofrerem menos com a queda brusca dos negócios, mas será necessária a reavaliação de valores e metas previamente estabelecidas, e todos terão que encontrar suas formas de lidar com a situação. O problema mais temido por empresários e negociantes, de forma geral, é o fim ou queda considerável na arrecadação. O raciocínio é simples: dentro da empresa, também será necessária a aplicação de medidas de isolamento, o que fará com que tudo que não precisa ser feito diretamente do trabalho seja transferido para home office.

Ainda assim, uma queda brusca geral na produção é inevitável, independentemente do que a empresa produzir. A queda na quantidade de produtos ou serviços de uma empresa que chegam ao consumidor geral leva, consequentemente, a uma diminuição do lucro e, portanto, do dinheiro que entra em caixa. Além disso, a queda na circulação de pessoas faz com que a demanda por diversas coisas diminua de forma drástica. Se o isolamento não permite que qualquer empresa siga vendendo como antes, o dinheiro em caixa também diminui.

 

Possibilidade de problemas jurídicos

A queda tanto na demanda quanto na produção de bens por parte da empresa e o isolamento social por parte dos funcionários, bem como a necessidade de economizar o máximo possível para sobreviver aos tempos de crise levarão à muitas demissões. Prevendo isso, o Governo orienta que empresas evitem despedir seus funcionários durante a pandemia, mas isso pode ser impossível em muitos casos. A dificuldade do próprio Governo em estabelecer um meio termo entre empregadores e empregados no momento de crise gera uma insegurança jurídica para ambos os lados.

A falta de uma determinação mais concisa abre espaço para que empregados busquem a justiça para enfrentar as empresas após uma eventual demissão, o que pode prejudicar ainda mais os empresários. Para evitar ao máximo esse tipo de problema e para tentar ao máximo não prejudicar os funcionários, a melhor forma é tentar negociar e rever os termos da contratação durante o período de isolamento e de crise.

Ainda pode ser interessante condicionar a manutenção do salário de seus funcionários ao cumprimento de cursos de especialização online e outras atividades praticáveis em isolamento e que visem o desenvolvimento de todos, que será revertido para a empresa posteriormente.

 

Dívidas geradas pelo momento de crise econômica

Outro efeito da crise é o surgimento de dívidas por parte das empresas. A diminuição brusca dos lucros e o eventual fim do capital de giro pode fazer com que empresários acabem contraindo dívidas. Isso acontece porque uma grande quantidade de gastos ainda deverá ser mantida, visando o retorno das atividades ao final do período de isolamento social.

 

Algumas dicas que podem ajudar os empresários

O principal é procurar formas de fazer com que a empresa passe pelo momento de forma a sentir o mínimo possível da crise. Além da negociação com funcionários e a utilização de cursos de especialização online que podem ser revertidos a uma melhora de desempenho no futuro, existem diversas outras maneiras de enfrentar a crise.

Uma das principais dicas é o investimento cada vez maior na venda e na propaganda online. Essa vai ser a melhor forma de continuar vendendo e atingindo um número cada vez maior de eventuais clientes. Isso acontece porque, evitando sair de casa o máximo possível, as pessoas vão recorrer à internet e às redes sociais para continuar encontrando e comprando os produtos que julgarem necessários nesse momento.

Por fim, pode ser muito útil procurar um banco e optar por uma linha de crédito com condições especiais por causa da crise. Assim, pode ser possível fazer com que dívidas diversas se condensem em uma só com juros mais baixos. Além disso, esse será o melhor momento para renegociar pagamentos devidos, o que também pode fazer uma grande diferença no final do mês.

 

Buscando uma consultoria para alavancar os negócios e lidar melhor com o momento de isolamento social e crise econômica? Conheça os nossos serviços e faça um orçamento agora!

Depto. Financeiro 11 99455 6324

Dpto. Fiscal 11 99455 0763

Dpto. Contábil 11 95258 7533

Dpto. Pessoal 11 95258 7532

Dpto. Legal 11 99455 9851

Diretoria Comercial 11 99945 7063

Receba nossas últimas atualizações

Fique por dentro